Destaques

Machismo Ceifou até a Socióloga

Breve história de vida da PhD em Sociologia, a doutora Maria Ribeiro Luzinete Cecentini, mais uma entre tantas vítimas do machismo e com a diferença de que ela tristemente optou em pôr termo a essa vergonhosa ferida social do seu jeito e da pior maneira possível: primeiro abandonando tudo e se enclausurando em distante e abandonada pequena propriedade rural e, poucos anos mais tarde, interrompendo bruscamente sua vida e com suas próprias mãos.

Como Acabar com o Racismo no Brasil

Racismo estrutural é a formalização de um conjunto de práticas institucionais, históricas, culturais e interpessoais dentro de uma sociedade, que frequentemente coloca um grupo social ou étnico em uma posição melhor para ter sucesso e, ao mesmo tempo, prejudica outros grupos de modo consistente e constante.

Vamos mudar essa realidade?

Pecado Vermelho

R$ 39,90

Em meados do século XX, Raquel fica órfã e é renegada pela única tia viva. Aos dezessete anos, vai parar no convento da cidade e espera atingir os dezoito anos para sair e seguir o sonho de estudar na capital.
Por outro lado, Helena cresceu seguindo às diretrizes da igreja, ela foi abandonada ainda bebê e criada pelas freiras. Falta pouco para ela fazer os votos e seguir o caminho que sempre sonhou.
O destino das duas se cruza e uma forte amizade nasce. No entanto, a chegada do novo professor de literatura do convento vai provocar desejos e sentimentos que elas não esperavam.
Em contrapartida, quem sabe de muita coisa e já viveu algo parecido é Cora, uma mulher amarga e fechada para qualquer tipo de sentimento. Dona de uma pensão na pequena cidade de Amora Branca, ela hospeda o novo professor e também se encanta por sua beleza.
Tantas paixões resultam em dois amores verdadeiros, uma vida vazia e um pecado tão forte quanto a própria vida que é banhado de muito sangue.

 

Os Ipês voltaram a florescer

R$ 39,90

Fazendo uma analogia entre o ciclo de vida dos Ipês com os relacionamentos humanos, o livro explora a árdua e inconstante trajetória até chegar à floração. Ao passar pela perda das folhas e períodos de bruscas transições, a árvore passa pelo lento processo de autocuidado.

Através de poesias e textos que transpiram sentimento, a autora coloca a mulher no seu devido lugar, que é como protagonista da história.

“… a árvore pode enfim, dar início ao processo de floração. Longe de tudo que lhe sugou energia, e que naquele momento tornou-se dispensável.

Só, ela consegue disseminar milhares de sementes que se espalham por quilômetros, e assim, essas, por si só, podem dar início aos seus próprios ciclos.”

 

1 2 4